Vazio sanitário começa amanhã e cultivo da soja volta só em setembro



Aral Moreira - MS - Quinta, 13 de Dezembro de 2018
15/06/2018 07h04 - Atualizado em 15/06/2018 10h00

Vazio sanitário começa amanhã e cultivo da soja volta só em setembro

Campo Grande News



Nesta sexta-feira (15), se inicia o período de vazio sanitário da soja, quando fica proibido o cultivo do grão em Mato Grosso do Sul. O prazo se estende até o dia 15 de setembro, e tem como objetivo reduzir a quantidade de esporos da ferrugem durante a entressafra e assim diminuir a possibilidade de incidência da doença.

 

Além de não plantar o grão, os produtores devem eliminar todas as plantas voluntárias – conhecidas como guaxas ou tigueras – nas propriedades, seja por meio de processos mecânicos ou químicos, e antes de plantar devem ficar atentos ao prazo de cadastramento das áreas onde será feito o cultivo da soja.

 

 

Esse cadastro é obrigatório e os dados recebidos são mantidos no banco de informações da Iagro servindo de base para identificar o total de área plantada, prevenir os agricultores vizinhos quando houver foco da ferrugem por meio de alerta sanitário, além de facilitar as atividades da equipe da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro).

 

A Medida preventiva é uma estratégia de manejo para reduzir o inoculo nos primeiros plantios, diminuindo a possibilidade de incidência de ferrugem asiática no período vegetativo e, consequentemente, reduzindo o número de aplicações de fungicidas e o custo de produção.

 

O período de 90 dias foi estabelecido considerando que o tempo máximo de sobrevivência dos esporos no ar, que é de 55 dias. O descumprimento das normas do vazio, de acordo com a Lei, pode implicar em autuação da Iagro e multa de até mil UFRMS, que é a Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul. A unidade teve seu valor estabelecido para o mês de junho em R$ R$ 24,66.

 

Hoje, além de Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal, outros dez Estados adotam o vazio sanitário como medida de controle da ferrugem asiática da soja: Rondônia, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, São Paulo e Tocantins. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo telefone: 0800 647 2788.




NENHUM COMENTÁRIO



escrever comentário




PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
  • Amoreira25
  • InterPax1

PUBLICIDADE