• Quarta, 17 de Julho de 2024

Líder religiosa e marido são mortos carbonizados em aldeia indígena em Aral Moreira

POR JOELSO GONçALVES

993

Uma líder religiosa da etnia guarani-kaiowá e o marido foram encontrados mortos com os corpos carbonizados na casa onde moravam na aldeia indígena de Guassuty, em Aral Moreira (MS), nesta segunda-feira (18). A polícia investiga o caso e tem um suspeito, que seria familiar das vítimas.

 

O crime foi confirmado pela Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas) e o casal foi identificado como Sebastiana e Rufino, mas as idades não foram divulgadas. 

 

“Estamos em intensas buscas para encontrar o autor. Mobilizamos várias equipes para buscar o autor do crime”, declarou o delegado da Polícia Civil Maurício Vargas, ao portal G1. Por ser tratado como crime comum, a Polícia Federal não foi acionada.

 

Sebastiana é rezadeira da aldeia Guassutye, chamada de “nhandesy”, termo que no guarani significa “nossa mãe”. Imagens dos corpos carbonizados estão sendo compartilhados em aplicativos de mensagem. A casa foi toda destruída e as vítimas ficaram irreconhecíveis. 

 



Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.
Para mais informações, consulte nossa política de cookies.